PBGÁS apresenta proposta de reajuste do gás natural e preserva competitividade dos segmentos

28 jan 2019   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

IMG_4277

Durante audiência pública na manhã desta segunda-feira (28), realizada no auditório do Espaço Cultural, a PBGÁS propôs não repassar o reajuste da tarifa para o Gás Natural Veicular (GNV) com objetivo de garantir a competitividade do combustível no mercado que, com base no preço médio da ANP, está 27% mais competitivo que a gasolina e 25 % em relação ao etanol.

Na audiência, que contou com a participação da diretoria da PBGÁS, representantes da Agência de Regulação do Estado da Paraíba (ARPB), do Procon PB, e representantes dos segmentos residencial, industrial e automotivo, foram  apresentados os fundamentos da proposta de repasse do aumento no custo do gás de 1,81%, por parte da supridora Petrobras, às tarifas da companhia, a partir do mês de fevereiro.

O índice médio de reajuste do gás natural apresentado pela companhia foi de 1,63%, sendo de 1,47% para o segmento da indústria, 12,31% para o comercial, 13,11% para o residencial, 1,75% para geração distribuída, 1,68% para EBVA (Energéticos de baixo Valor Agregado) e 0% para o automotivo. As novas tarifas serão adotadas após a aprovação da ARPB e devem valer a partir de fevereiro.

De acordo com a diretora-presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano a audiência foi positiva por mostrar de forma transparente com os segmentos envolvidos a composição da tarifa do gás natural, o esforço da companhia para não repassar o reajuste para o GNV e manter os demais segmentos competitivos.

Tatiana Domiciano explicou também que os segmentos comercial e residencial só terão um único reajuste no ano de 2019, garantindo uma maior estabilidade nos preços aplicados para mais de 17 mil clientes nos segmentos.  “A PBGÁS cumpre o seu papel de apresentar à sociedade e  ao mercado as explicações para que a composição da tarifa seja melhor entendida”.

Após a audiência, a companhia enviará a proposta tarifária para a ARPB, a quem cabe homologar a proposta e  autorizar a aplicação da nova estrutura tarifária no Diário Oficial do Estado. A ata e a apresentação dos fundamentos da nova estrutura tarifária também estarão disponíveis no dia 29 de janeiro no site da PBGÁS.