Notícias

Artigos da categoria "Notícias"

PBGÁS empossa nova comissão de prevenção a acidentes de trabalho

8 fev 2019   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

 

IMG_4320

Os novos membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), eleitos para o mandato 2019/2020, tomaram posse na manhã desta quinta-feira (7). O novo presidente da CIPA será o Técnico de Processos Operacionais, Daniel Gomide e o vice-presidente, o engenheiro Ranieri Queiroz Vilar, ambos da Gerência de Operações e Manutenção (GOM).

A posse da nova comissão contou com a presença do diretor Administrativo Financeiro da PBGÁS, Giovane Rosa, do Gerente de Recursos Humanos, Dennison Melo e colaboradores da companhia. O diretor Giovane Rosa agradeceu em nome da diretoria executiva o envolvimento dos membros da CIPA na gestão passada e destacou que a companhia será sempre uma grande aliada da comissão, apoiando as ações de prevenção de acidentes e, principalmente, a segurança dos colaboradores da companhia.

Os demais membros são Breno Honorato, Saulo Henrique, Isabela Assis, Luana Angélica de Paula, Jardel Gomes, Felipe Furtado e Helyel Nunes, que será o representante da companhia em Campina Grande. O período da gestão da CIPA será de 1 ano.

O novo presidente da CIPA, Daniel Gomide, destacou o empenho de todos os componentes da gestão anterior e enfatizou que os novos membros iniciam a gestão muito motivados e sabendo do tamanho do desafio de cuidar da segurança e da saúde dos colaboradores PBGÁS. Daniel Gomide lembrou, ainda, o papel da diretoria e da equipe da Gerência de Segurança, Meio Ambiente e Saúde, que sempre apoiaram a realização do trabalho de forma plena pela CIPA. “Nossa missão será o que preconiza a NR-05 – ter como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador”, completou Gomide.

Prorrogado até abril prazo de entrega de propostas para chamada pública de gás no NE

31 jan 2019   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

A chamada pública para aquisição de Gás Natural envolvendo as distribuidoras do Nordeste teve, mais uma vez, o seu prazo de entrega das propostas prorrogado para o dia 12 de abril deste ano.  A chamada pública se encerrava nesta quinta-feira (31).

A prorrogação visa conciliar as mudanças em curso no setor de gás, com a possibilidade ampliação da participação de novos supridores, além de estender o prazo para elaboração das propostas comerciais pelos possíveis ofertantes.

No Nordeste, a iniciativa reúne as distribuidoras Algás (AL), Bahiagás (BA), Cegás (CE), PBGás (PB), Copergás (PE), Potigás (RN) e Sergás (SE), somando um volume potencial de aquisição de 9,4 milhões de m³/dia de gás. Qualquer produtor, importador, ou agente comercializador pode participar da chamada pública para venda de gás canalizado.

A modalidade de contratação de gás proveniente de novos supridores tem sido alternativa adotada pelas distribuidoras diante do reposicionamento estratégico da Petrobras, visando fontes alternativas de suprimentos, ampliando a concorrência e consecutivamente ofertar um gás mais acessível a sociedade.

Esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos na lista de “PERGUNTAS MAIS FREQUENTES OU FAQ” ou através do e-mail: suprimento@pbgas.com.br

PBGÁS publica resultado da audiência pública nº001/2019

Na manhã desta segunda-feira (28 de janeiro de 2019), no auditório do Espaço Cultural, foi realizada Audiência Pública nº 001/2019, sobre a proposta de reajuste das tarifas de gás canalizado no Estado da Paraíba, cujos avisos foram publicados no Diário Oficial do Estado e no Jornal A União nos dias 11, 16 e 23 de janeiro, no Diário Oficial da Paraíba.

Durante a Audiência Pública com a presença de representantes da PBGÁS, da Agência de Regulação do Estado da Paraíba (ARPB), do Procon Paraíba, do segmento industrial e de representantes de taxistas e motoristas de aplicativos, foram apresentados os fundamentos da proposta de reajuste das tarifas do gás natural, a partir de fevereiro de 2019, com objetivo dar transparência e publicidade às ações da companhia.

O índice médio de reajuste do gás natural apresentado pela companhia foi de 1,63%, sendo de 1,47% para o segmento da indústria, 12,31% para o comercial, 13,11% para o residencial, 1,75% para geração distribuída, 1,68% para EBVA (Energéticos de Baixo Valor Agregado). Não haverá reajuste para o GNV com a finalidade de garantir a manutenção da competitividade do combustível. Esses serão os únicos reajustes no ano para os segmentos residencial e comercial.

As novas tarifas serão adotadas após a aprovação da ARPB e devem valer a partir de fevereiro. A PBGÁS se colocou à disposição da sociedade através de seus segmentos de mercado, para estudar formas de incentivar o aumento de consumo considerando as diversas vantagens do uso de Gás Natural, assim como dar continuidade a seu plano de investimentos para disponibilizar os benefícios por todo o estado da Paraíba.

Tanto a Ata com os resultados da reunião, quanto a apresentação dos fundamentos da medida, estão à disposição de qualquer interessado nos links abaixo:

 

AP 001-2019 – Ata (28.01.2019)

AP 001-2019 – Apresentação (28.01.2019)

 

PBGÁS apresenta proposta de reajuste do gás natural e preserva competitividade dos segmentos

28 jan 2019   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

IMG_4277

Durante audiência pública na manhã desta segunda-feira (28), realizada no auditório do Espaço Cultural, a PBGÁS propôs não repassar o reajuste da tarifa para o Gás Natural Veicular (GNV) com objetivo de garantir a competitividade do combustível no mercado que, com base no preço médio da ANP, está 27% mais competitivo que a gasolina e 25 % em relação ao etanol.

Na audiência, que contou com a participação da diretoria da PBGÁS, representantes da Agência de Regulação do Estado da Paraíba (ARPB), do Procon PB, e representantes dos segmentos residencial, industrial e automotivo, foram  apresentados os fundamentos da proposta de repasse do aumento no custo do gás de 1,81%, por parte da supridora Petrobras, às tarifas da companhia, a partir do mês de fevereiro.

O índice médio de reajuste do gás natural apresentado pela companhia foi de 1,63%, sendo de 1,47% para o segmento da indústria, 12,31% para o comercial, 13,11% para o residencial, 1,75% para geração distribuída, 1,68% para EBVA (Energéticos de baixo Valor Agregado) e 0% para o automotivo. As novas tarifas serão adotadas após a aprovação da ARPB e devem valer a partir de fevereiro.

De acordo com a diretora-presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano a audiência foi positiva por mostrar de forma transparente com os segmentos envolvidos a composição da tarifa do gás natural, o esforço da companhia para não repassar o reajuste para o GNV e manter os demais segmentos competitivos.

Tatiana Domiciano explicou também que os segmentos comercial e residencial só terão um único reajuste no ano de 2019, garantindo uma maior estabilidade nos preços aplicados para mais de 17 mil clientes nos segmentos.  “A PBGÁS cumpre o seu papel de apresentar à sociedade e  ao mercado as explicações para que a composição da tarifa seja melhor entendida”.

Após a audiência, a companhia enviará a proposta tarifária para a ARPB, a quem cabe homologar a proposta e  autorizar a aplicação da nova estrutura tarifária no Diário Oficial do Estado. A ata e a apresentação dos fundamentos da nova estrutura tarifária também estarão disponíveis no dia 29 de janeiro no site da PBGÁS.

Aviso de Audiência Pública Nº 001/2019

A COMPANHIA PARAIBANA DE GÁS – PBGÁS, em atendimento a Lei Estadual Nº 8.767 de 15/04/2009, comunica aos usuários e demais interessados, que realizará AUDIÊNCIA PÚBLICA, com o objetivo de discutir, dar conhecimento e fundamentar a proposta de reajuste das tarifas do serviço público de distribuição de gás canalizado no Estado da Paraíba.

Local: Auditório 01 do Espaço Cultural José Lins do Rego

Endereço: Rua Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho, João Pessoa, PB

Data e horário: 28 de janeiro de 2019 às 10h

 

A DIRETORIA

PBGÁS apresenta plano de investimento de R$ 54 milhões em cinco anos

14 dez 2018   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

PB GAS16

Os resultados da Companhia Paraibana de Gás (PBGÁS) e os investimentos de mais de R$ 54 milhões na infraestrutura da rede de distribuição de gás canalizado para os próximos cinco anos foram apresentados ao governador da Paraíba, Ricardo Coutinho e ao presidente da Mitsui Gás e Energia do Brasil, Hiroki Toko, durante audiência na manhã desta sexta-feira (14), na Granja Santana.

O gerente de mercado Industrial e Automotivo, Alairson Gonçalves, apresentou os projetos prioritários e dados como a expansão da rede de distribuição de gás canalizado nos últimos oito anos, que saiu de 252 km em 2010 para 321 km em 2018, um crescimento de 27%. Ele destacou o crescimento do número de clientes entre 2010 e 2018, saltou de 872 para 17.500, demonstrando que a companhia está cada vez mais próxima dos paraibanos.

De acordo com a diretora-presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano, esse crescimento se deve também a política do governo do Estado para atração de novos investimentos imobiliários, comerciais e industriais e a expansão da rede de distribuição do gás natural em áreas estratégicas. Ela destacou como uma das prioridades a ampliação da rede para atender aos mercados urbanos e para o município de Cabedelo.

Outros resultados também foram apresentados como o crescimento de 20% da quantidade de ligações no mercado residencial e comercial em relação a 2017. Foram 3 mil ligações residenciais e comerciais, este ano, e 2.303 residências e comércios no ano passado.  Também cresceu em 20% o número de indústrias ligadas ao gás canalizado com mais oito indústrias que agregaram volume de gás consumido, principalmente no 2º semestre do ano. No segmento GNV foram instalados 630 novos kits dentro do programa de incentivo ao GNV que bonifica em até R$ 1 mil os motoristas que instalarem os kits de 5ª geração nas oficinas credenciadas.

“Teremos nos próximos anos uma expansão da rede de distribuição do gás canalizado em bairros como Brisamar, João Agripino, Torre e Bessa em João Pessoa e no centro de Campina Grande, levando a infraestrutura energética para novos empreendimentos residenciais e comerciais”, explicou Tatiana Domiciano.

O governador Ricardo Coutinho destacou a importância estratégica do gás natural canalizado e a atratividade para o cidadão ou o empresário ter a rede de gás passando em sua porta. Ricardo colocou como estratégico a ampliação da rede de distribuição de gás canalizado para o distrito de Alhandra e Caaporã e frisou que esse trabalho terá continuidade com a equipe do futuro governo de João Azevêdo.

O presidente da Mitsui Gás e Energia do Brasil. Hiroki Toko, destacou que o grupo está muito satisfeito com a parceria com o governo do Estado e com os resultados obtidos pela PBGÁS e de como vai fazer para aproveitar as oportunidades e aprofundar a sua missão de implementar a infraestrutura necessária para contribuir cada vez mais com o desenvolvimento da Paraíba.

Também participaram da audiência o executivo Takuya Kawabe,  diretor de Operações da Mitsui Gás; Ricardo Cavalcanti, Diretor Regional da Mitsui, Raimundo Bastos, do Conselho Administrativo da PBGÁS e também da Mitsui;  Giovane Rosa, Diretor Administrativo Financeiro da PBGÁS e Deusdete Queiroga, secretário de Recursos Hídricos, Infraestrutura e Meio Ambiente e do Conselheiro administrativo da PBGÁS.

 

 

 

Indústria adere ao gás canalizado e economiza quase 40% por mês

7 dez 2018   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

IMG_3840

A indústria Tees, fabricante das sandálias Kenner, começou há pouco mais de um mês a operar com gás natural canalizado e comemora uma economia de quase 40% na conta do gás. Após a decisão de concentrar a produção e montagem na Paraíba, a fábrica, localizada em Campina Grande, optou por converter suas caldeiras e equipamentos do refeitório ao gás natural canalizado em busca de economia e um processo mais limpo do ponto de vista ambiental.

Recentemente, a diretora presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano e os diretores Paulo Campos e Giovane Rosa visitaram o novo cliente para acompanhar os primeiros resultados da mudança. Eles foram recebidos pelos gerentes industrial da TEES, Paulo Ventura e de manutenção, Paulo Henrique, que apresentaram a linha de produção e puderam atestar os bons resultados obtidos após a utilização do gás canalizado.

A presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano, avaliou como positiva a visita pela troca de experiência e a sinergia entre a PBGÁS e a empresa no sentido de ampliar a utilização do gás natural para otimizar os resultados. “O gás natural oferece vantagens como o fornecimento contínuo, sem a necessidade de reabastecimento, e sua utilização possibilita uma economia considerável. A companhia está à disposição das indústrias que estiverem interessadas em melhorar seus processos com a utilização de um energético mais limpo e eficiente”.

O gerente industrial da fábrica, Paulo Ventura avaliou que a decisão de aderir ao Gás natural foi acertada pela economia e a praticidade do fornecimento contínuo. Ele destacou que a fábrica recentemente aumentou em 30% a sua produção na unidade com a concentração da fabricação das palmilhas e solados em Campina Grande, o que gerou mais 400 empregos.. “Foi uma decisão acertada pela redução dos custos logísticos e os incentivos oferecidos pelo Governo da Paraíba. A nossa empresa tem 30 anos e tem  uma visão de acompanhar os avanços tecnológicos e energético, assim como fizemos com a adesão ao gás canalizado”.

O gerente de manutenção da Tess, Paulo Henrique Incerpi, já vê algumas vantagens na utilização do gás canalizado em relação ao GLP, como não precisar abastecer uma ou até duas vezes por semana e não haver risco de descontinuidade do serviço. “É uma preocupação a menos e que nos tem gerado uma economia considerável num momento estratégico para o sucesso do nosso negócio ”.

A Tees produz as sandálias Kenner, que surgiu em 1988, inspirada nas praias da Califórnia e lançada no Rio de Janeiro, ganhando ao longo dos 30 anos espaço no mercado nacional. Atualmente, a fabricação e montagem do produto estão concentradas em Campina Grande,  gerando 1450 empregos diretos no Estado da Paraíba.

 

PBGÁS e SindCampina discutem estratégias para ampliação de rede de gás natural

29 nov 2018   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

IMG_3844-site

A diretoria executiva da PBGÁS e representantes do SindCampina (Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação de Campina Grande) se reuniram nesta nesta terça-feira (28), para tratar sobre a expansão da rede de distribuição do gás natural em Campina Grande.  A rede de gás de Campina Grande possui 25 km e atende aos bairros do Catolé, Avenida Liberdade e do distrito industrial.

Durante o encontro realizado em Campina Grande, ficou pactuado o levantamento conjunto de dados de consumo e análise técnica para ampliação da rede de distribuição. O presidente da entidade, o empresário Divaildo Júnior, destacou a importância da extensão da rede de distribuição de gás natural para a avenida Manoel Tavares, no bairro do Alto Branco, principal corredor gastronômico e de lazer no município.

De acordo com Divaildo Júnior, os empresários do setor entendem que a rede de fornecimento de gás canalizado proporcionará a redução dos custos, o fornecimento contínuo e a melhoria logística dos empreendimentos. “Alternativas de redução de custos neste momento será muito bem vida para os empresários do setor”, avaliou Divaildo.

A presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano, classificou como estratégica a  manutenção de um dialogo aberto com representantes de categorias como o setor de alimentos e hospedagens e que a companhia vai realizar estudos sobre o perfil de consumo da área na perspectiva de ampliar a rede de gás natural no município. “Campina Grande por sua vocação comercial e industrial é prioridade dentro dos planos de expansão da PBGÁS”, afirmou Tatiana.

O diretor Técnico Comercial da PBGÁS, Paulo Campos, informou que o planejamento da companhia prevê a extensão da rede de abastecimento para novas áreas e que atuará em parceria com o segmento para levantar o potencial de consumo dos bairros do centro e Alto Branco, onde estão localizados restaurantes, bares e hotéis.

Também participaram da reunião o secretário executivo do SindCampina, Jonas Costa, o diretor administrativo financeiro da PBGÁS, Giovane Rosa, o gerente regional de Campina Grande, Renato Vilarim e gerentes das áreas de mercado residencial e comercial e engenharia da PBGÁS.

IMG_3848-SITE

PBGÁS apresenta práticas de prevenção de acidentes em gasodutos a funcionários da Cagepa

22 nov 2018   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

IMG-20181116-WA0024.jpg

A PBGÁS apresentou as “Boas Práticas para a Prevenção de Acidentes por Interferência de Terceiros em Redes de Distribuição de Gás” para operadores e técnicos da CAGEPA e contratados. A integração foi feita pelo gerente de Operação e Manutenção , Adilson Cazarini e o técnico Daniel Gomide, na última quarta-feira (14), no auditório da Cagepa, em Marés.

Eles expuseram os aspectos institucionais sobre a PBGÁS, gás natural, área de atuação dos gasodutos, construtivos (materiais utilizados na rede, sinalização, como identificar a presença de gasodutos) e de segurança (Interferências de Terceiros) como uma das principais causas de acidentes em gasodutos, estatísticas no Brasil e em outros países.

De acordo com o técnico da PBGÁS, Daniel Gomide, a atividade possibilitou a integração dos colaboradores da CAGEPA – sobretudo os envolvidos na operação e manutenção da rede de abastecimento d’água e coleta de esgoto – quanto aos cuidados e procedimentos a serem adotados durante escavações e execução de obras nas proximidades do gasoduto, além de disseminar o conhecimento sobre o gás canalizado e os aspectos técnicos da distribuição. “Este trabalho é de fundamental importância para a manutenção de uma convivência segura durante as operações das duas concessionárias – desde a fase de concepção de projetos de expansão, utilização do solo – e tem evitado acidentes, principalmente nos gasodutos em PEAD para distribuição para os segmentos residencial e comercial, mais vulneráveis pelo tipo do material e a área na qual está inserida”    .

Esta é a segunda integração da companhia com a CAGEPA. A primeira foi em 2014 no início do projeto “Prevenção de Acidentes por Interferência de Terceiros – PAIT PBGÁS” (que recebeu uma “Menção Honrosa” no Prêmio TOP Gás de 2014, na PETROBRÁS).

 

PBGÁS conecta novas empresas ao gás natural canalizado em Campina Grande

21 nov 2018   //   por Clóvis Augusto Guimarães Gaião de Queiroz   //   Notícias

 

para site1

A Companhia Paraibana de Gás (PBGÁS) conectou novas empresas ao gás natural em Campina Grande e impulsiona o crescimento deste setor estratégico para o Estado. Neste mês de novembro foram ligadas duas indústrias no segmento de calçados (as sandálias Kenner e as sandálias Blue), e a empresa Sim Engenharia Ambiental, especializada em incineração de resíduos hospitalares.

Com as novas ligações, já são 40 indústrias no estado operando com o gás natural canalizado que contribuem decisivamente para o desenvolvimento do estado. A diretora-presidente da PBGÁS, Tatiana Domiciano, classificou o setor industrial como estratégico para o desenvolvimento da Paraíba. “É uma enorme satisfação que essas indústrias possam contar com a infraestrutura de gás para poder realizar suas instalações e expansões, atuando como vetor de desenvolvimento do estado e gerando empregos e distribuição de renda”.

De acordo com o gerente de mercado Industrial e Automotivo da PBGÁS, Alairson Gonçalves Filho essas ligações são reflexo dos investimentos na ordem de R$ 3,5 milhões realizados pela companhia no último ano para a expansão da rede de distribuição para o segmento industrial. Ele adiantou que, ainda este ano, novas indústrias serão ligadas a rede de distribuição em João Pessoa e Campina Grande, marcando a ampliação da companhia neste segmento.

Dentre os novos empreendimentos ligados ao gás natural estão a indústria TEES, fabricante das sandálias Kenner, que recentemente aumentou em 30% a sua produção na unidade de Campina Grande, também mudou para o gás canalizado que atende aos setores das caldeiras e refeitório. Ao concentrar a produção e montagem na Paraíba atraída pelos incentivos do governo do Estado, a empresa gerou mais 400 empregos diretos, chegando a empregar 1450 pessoas no estado.

O gerente de manutenção, Paulo Henrique Incerpi, já vê algumas vantagens na utilização do gás canalizado, como não precisar abastecer uma ou até duas vezes por semana, o que dá uma margem de segurança muito maior na produção. “Associado ao abastecimento contínuo está também a economia de cerca de 30% na conta do gás, o que pode ser ampliado também com o aumento da nossa produção por meio de um processo mais limpo do ponto de vista ambiental”, avaliou o engenheiro mecânico, que se mostrou satisfeito com o uso do novo energético.

A Sim Engenharia Ambiental, que atua desde 2014 em Campina Grande e atende aos mercados da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, também já opera com gás natural.    A engenheira sanitária e ambiental, Jaqueline Pereira Salgado, afirmou que a principal mudança ocasionada pelo uso do gás natural foi a economia financeira e, junto com ela, veio também melhorias na logística com o fornecimento contínuo e sem interrupções no serviço. A segurança de não precisar armazenar o gás  e a utilização de uma fonte energética menos poluente também foram decisivos para a mudança. “Desta forma como a empresa tem uma visão de sustentabilidade, o gás natural canalizado se adequa bem a nossa realidade”, explicou Jaqueline.

 

para site2

Páginas:«1234567...39»